Dificuldade em manter a ereção? Veja o que pode estar acontecendo

Dificuldade em manter a ereção? Veja o que pode estar acontecendo

Quero começar esse texto com uma pergunta importante? Você está satisfeito com seu desempenho na cama? Que tal ter uma transa AINDA MAIS LONGA? O segredo está aqui ► Clique enquanto ainda está no ar…
A impotência sexual é um problema que atinge grande parte dos homens. Ela tende a surgir após os 40 anos de idade, mas pode aparecer em qualquer momento da vida, inclusive em homens mais jovens. E ao contrário do que muitos imaginam, não significa necessariamente falta de excitação. Podem estar relacionados ao bem estar e saúde e também a outro problema de saúde, como por exemplo uma lesão na medula espinhal, sedentarismo ou baixos níveis de testosterona sendo produzidos no seu organismo.

A impotência sexual é quando um homem não consegue iniciar ou manter uma ereção até o final do ato sexual. Ela pode causar constrangimento e afetar diretamente a auto-estima masculina. O homem pode inclusive começar a evitar situações que podem levá-lo à momentos mais íntimos. Ele passa a ter uma vida sexual inativa ou até mesmo inexistente, pois não se sentem seguros em relação ao seu desempenho na cama.

Apesar de comuns em homens mais velhos, problemas de ereção e a incapacidade de atingir e manter uma ereção firme e outros problemas de ereção podem ocorrer em qualquer idade. Tanto eles, como a ejaculação precoce tem tratamento. Deve sempre ser feito um diagnóstico com um médico profissional, para descobrir a causa da disfunção erétil em cada causa. Só depois de diagnosticado que o homem inicia seu tratamento.

Isso geralmente acontece quando a ereção é quase nula, isso pode ser por meio de causas psicológicas, após uma situação difícil ou um problema não resolvido do dia, o que acaba afetando todas as idades, o que é comum no homem muito mais do que se imagina. Uma das outras causas também pode ser uma possível autoestima baixa ou até mesmo uma deficiência hormonal e outras tantas diferentes razões.

O QUE FAZER?
É indicado que se o problema persistir, o que acontece e muitos dos casos da disfunção erétil é quando os remédios não resolvem, daí é necessário recorrer nesse tipo de situação para uma avaliação do especialista em questão.. Há histórias de pessoas em que a disfunção psicológica acontecia, interferindo nas questões sexuais e até casos mais graves.

Há vários casos de origem, além de que se mudar velhos hábitos pode influenciar uma boa parte psicológica, além do clássico: os exames fisiológicos atenção na saúde acontece como primeiro lugar para que se isso se resolva o mais rápido possível.

Há histórias de pessoas de que isso ocorre devido ao fato de que se é inseguro e medo de falhar, o que é imprescindível de não existir para que a ereção não sofra com essa problema, assim como sua parceira tem a certeza seu pênis não vai deixar ela na mão, literalmente.

UMA FORMA NATURAL PARA MANTER SUA EREÇÃO
Muitos homens reclamam sobre as ereções curtas – menos de 3 minutos… Eu jamais quero passar por uma situação dessa. Se você está sofrendo com isso, posso te dizer que há soluções naturais que podem fazer você voltar a ser uma máquina de fazer sexo. Conheça abaixo o Melhor suplemento do mercado, que ajuda a manter a ereção durante o sexo:

O tratamento simples e vai ter ajudar nos seguintes aspectos:

Ereção Prolongada
Fim da Ejaculação Precoce
Aumento do Libido (vontade de transar mais)
Performance de Ator Pornô
O seu Pau vai Explodir!

CAUSAS MAIS COMUNS DA IMPOTÊNCIA
Veja quais são os principais fatores que levam o homem à impotência sexual, para que sabe encontrar a raiz do seu problema. A disfunção erétil pode ser causada por problemas psicológicos, biológicos e hábitos do dia a dia. Veja:

Hábitos não saudáveis como tabagismo e abuso de bebidas alcoólicas. Uma dose moderada de álcool pode desinibir a pessoa, mas seu uso excessivo pode afetar diretamente a performance de um homem na cama. Já tabagismo à longo prazo afeta a circulação sanguínea e consequentemente a ereção. Por isso, evite ambos sempre que puder.
Distúrbios hormonais também podem ser os causadores da impotência sexual. Os mais comuns a impedir você de ter uma ereção potente são aqueles que causam a queda da testosterona e problemas endócrinos. A testosterona é o principal hormônio relacionado à libido tanto em homens quanto em mulheres.
Uso de drogas recreativas ou uso excessivo de medicamentos. Os medicamentos campeões na causa do problema são: antidepressivos, anti-hipertensivos e antipsicóticos, mas diversos outros podem levar à impotência. Leia sempre a bula e informe seu médico caso sinta dificuldades em manter uma ereção.
Problemas psicológicos. Normalmente o homem broxa por nervosismo, mas outros fatores também podem fazer com que ele não consiga a ereção, como: insatisfação, medo, depressão, traumas do passado, ansiedade e/ou diminuição da libido. Os problemas de ereção são causados por vários fatores, o psicológico é um dos principais e mais frequente dentre eles.
Doenças crônicas podem estar associadas, tendo como consequência a impotência sexual. Algumas delas são: diabetes, hipertensão arterial, insuficiência renal, aterosclerose. A obesidade e sedentarismo também são grandes causadoras do problema.
Problemas no órgão sexual, como: deformidades, tumores, cistos, fibrose.

Leia também: remédios para ereção funcionam

Doenças neurológicas: Alzheimer, tumores cerebrais, esclerose múltipla, Parkinson, lesões na medula, esclerose múltipla e outros.
Veja isso com Atenção!
Sua Mulher Muito Mais Satisfeita na Cama: Você quer deixar sua mulher ainda MAIS louca de tesão por você? Eu tenho um segredo para compartilhar contigo… [clique aqui que é sucesso!]
É por isso que é tão importante consultar um médico, para então iniciar o tratamento de impotência mais adequado à cada caso. Existem diversos métodos para solucionar a impotência, eles envolvem medicamentos ansiolíticos, suplementos naturais e até mesmo o famoso Viagra. Tudo isso para que você possa ter uma relação sexual satisfatória. Em relação ao método mais eficaz, é preciso ver o fator que está desencadeando a disfunção em cada caso em particular, para só então tratá-lo.

Os efeitos da idade na sexualidade.

Os efeitos da idade ilustram perfeitamente a complexa interação de fatores fisiológicos e psicológicos. Algumas mudanças biológicas associadas ao envelhecimento são de natureza universal, mas as respostas que elas geram variam consideravelmente entre os indivíduos. Por exemplo, alguns adolescentes reagem a intensos impulsos sexuais que afligem o desenvolvimento de atitudes agressivas. Outros caem no amor, sabe como encantar o parceiro de sua escolha e levá-lo para fazer amor. Outros são incapazes de fazer valer a sua sexualidade e refugiar-se em fantasias ou tornar-se hiper-consciente.

Da mesma forma, quando, por volta de cinquenta anos, suas reações sexuais começam a declinar, alguns homens se retiram para uma andropausa irritável, depressiva e paranóica. Outros abandonam suas esposas e procuram parceiros mais jovens para redescobrir a intensidade erótica de sua juventude. As mulheres aproveitam sua menopausa para justificar uma cessação total da atividade sexual. Os mais felizes são capazes de integrar confortavelmente uma sexualidade modificada, mesmo que um pouco reduzida.

É extremamente interessante notar que a idade tem diferentes efeitos sobre o ciclo sexual, dependendo se é um homem ou uma mulher. As estatísticas mostram que, em humanos, a reatividade sexual, a capacidade sexual e a freqüência atingem o pico por volta dos 17-18 anos de idade, duram até 30 anos e continuam a declinar a partir de então. Nas mulheres, é no final dos trinta que o apogeu sexual é encontrado, seguido por uma desaceleração gradual.

Leia mais sobre o livro chamado destruidor de ejaculação precoce.

A idade afeta as reações sexuais de maneira diferente. Masters e Johnson estabeleceram que, em humanos, é o orgasmo mais afetado. O período refratário aumenta e diminui fortemente, logo após o apogeu da adolescência, a força ejaculatória. Por outro lado, apesar do aparecimento de certas dificuldades eréteis, a capacidade de ereção permanece relativamente inalterada. Embora ele não seja mais capaz de ter orgasmos tão intensos e múltiplos como em sua juventude, nem de experimentar distintamente a fase de inevitabilidade ejaculatória, um homem de 80 anos pode perfeitamente conhecer o orgasmo ocasional e alcançar Ereções freqüentes e agradáveis ​​quando efetivamente estimulados. A idade não tem efeito comparável sobre as mulheres, que permanece ao longo de sua vida capaz de experimentar múltiplas reações orgásticas, com quase nenhum período refratário. As mudanças são anatômicas e não funcionais.

Os efeitos da idade na sexualidade humana

O homem idoso vê mudanças fisiológicas graduais e normais. Essas mudanças afetam todo o seu corpo. Infelizmente, as mudanças que afetam o funcionamento sexual do homem são percebidas por muitos como indícios de que sua vida sexual acabou ou está chegando ao fim. Por exemplo, uma ereção menos espontânea ou uma impotência ocasional são interpretadas como uma perda iminente de capacidade e função sexual.

Tais crenças podem estar em pânico. Os homens nem sempre percebem como seus sentimentos de autoestima, autovalor, masculinidade ou competência podem influenciar seu funcionamento sexual. Se você tem mais de quarenta anos, notou que suas pernas não são tão fortes quanto eram aos vinte; Naturalmente, você nunca pensou que logo pararia de andar. Por que você deveria parar de fazer amor porque sente que seus músculos sexuais não são tão fortes quanto antes? Pelo contrário, você provavelmente descobrirá que algumas mudanças que ocorrem podem até mesmo ajudá-lo a se tornar um amante melhor.

De todas as mudanças fisiológicas fisiológicas previsíveis e normais, o principal e mais traumático para o homem é certamente o declínio da espontaneidade de suas ereções. Alguns homens entram em pânico e ficam desamparados. Eles interrompem suas iniciativas sexuais por medo do fracasso e suas mulheres interpretam esse comportamento como uma perda de sua própria atração sexual e também diminuem suas iniciativas sexuais quando, ao contrário, deveriam aumentar suas iniciativas e ser mais ativas. para ajudar o homem a descobrir uma sexualidade mais sensual. A contrapartida para a diminuição da espontaneidade erétil, para o homem que aceita essa mudança, é que ele pode manter ereções mais longas sem ejaculação.

O medo do fracasso leva ao fracasso. Para evitar a instalação de um círculo vicioso, o homem deve entender que ele pode desfrutar de sua sexualidade ou beneficiar seu parceiro e esperar até que sua libido seja forte o suficiente para facilitar a ereção. A ereção é um reflexo sobre o qual a vontade não se sustenta, exceto a de criar a atmosfera de relaxamento necessária para a excitação sexual.

A diminuição do desejo sexual na velhice também se manifesta por um declínio nas preocupações sexuais, pensamentos e fantasias na ausência de estimulação especificamente erótica. Embora haja diferenças muito marcantes dependendo do indivíduo, um homem com mais de 50 anos pode muito bem ser absorvido por sua carreira por semanas a ponto de não pensar em sexo e nenhuma ereção se manifesta. No entanto, os homens mais velhos permanecem potencialmente sensíveis à estimulação sexual. Técnicas eróticas aprimoradas podem compensar as mudanças devido à idade; Os homens mais velhos simplesmente exigem mais tempo e estímulos físicos mais intensos para continuar recebendo o máximo de prazer do sexo. Conforme você envelhece, a sexualidade do homem é próxima da da jovem; Podemos perceber isso como um retorno correto das coisas.

DISFUNÇÃO ERÉTIL

DISFUNÇÃO ERÉTIL

A disfunção erétil é uma disfunção sexual masculina que se caracteriza pela incapacidade persistente (durante pelo menos três meses) em obter ou manter uma ereção peniana que permita um desempenho sexual satisfatório.

É mais comum nas idades mais avançadas, mas pode ocorrer em qualquer faixa etária. Um estudo realizado em Portugal, mostrou que até 50% dos homens entre os 40 e os 70 anos apresentavam algum grau de disfunção erétil, podendo essa percentagem atingir os 85% acima dos 75 anos. Está reconhecido que a disfunção eréctil resulta numa diminuição importante da qualidade de vida.

Encarar a disfunção sexual como um tabu – para o próprio, dentro da relação ou para o médico de família – torna-a um problema sub diagnosticado e não tratado numa época que existem várias opções terapêuticas disponíveis e eficazes. Por outro lado, existe uma evidência cada vez mais importante de que a disfunção erétil pode ser uma manifestação inicial de doença coronária e doença vascular periférica, podendo ser um sinal precoce de doença cardiovascular.

Causas de disfunção erétil
A ereção peniana é o resultado de um fenômeno neuro vascular que ocorre num ambiente hormonal e psicológico favorável, sendo necessária a integridade anatômica de todos os sistemas intervenientes.

O desenvolvimento e a manutenção de uma ereção normal requer a ativação de vias neurológicas. Estas vias relaxam os músculos lisos trabeculares, aumentam o fluxo sanguíneo no corpo cavernoso (musculatura esponjosa do pénis) e reduzem o retorno venoso permitindo assim a ereção. Estas vias neurológicas são ativadas pelo cérebro, através de diferentes estímulos táteis, visuais, entre outros, são modificadas por estímulos psicológicos, como o desejo sexual e pelo ambiente hormonal, como a testosterona.

Assim, alterações de qualquer desses fatores que permitem a ereção podem levar a disfunção erétil.

As principais causas de disfunção erétil são:

Psicológicas, por exemplo ansiedade
Vasculares, por exemplo obstrução das artérias cavernosas
Neurológicas, por exemplo secção dos nervos cavernosos
Anatômicas, por exemplo curvatura grave do pênis
Hormonais, por exemplo baixo nível de testosterona
Induzida por fármacos, por exemplo hipo tensores
Fatores de risco para a disfunção erétil
São fatores de risco para a disfunção erétil:

Obesidade
Diabetes mellitus
Dislipidemia
Hipertensão arterial
Tabagismo
Sedentarismo
Hiperplasia benigna da próstata
Sintoma urinários
Diagnóstico da disfunção erétil
A avaliação diagnóstica inicia-se com a obtenção de uma história psicossexual o mais completa possível, incluindo a descrição dos hábitos sexuais, início e duração da disfunção, tratamentos prévios e resultados obtidos.

Podem ser utilizados questionários de auto-resposta, de que é exemplo o Índice Internacional da Função Erétil (IIFE).

É necessário distinguir se se trata de uma disfunção erétil circunstancial (por exemplo, apenas com um determinado tipo de estimulação) ou generalizada ou seja em todas as situações.

Os procedimentos de diagnóstico incluem a avaliação a tolerância do doente ao exercício, de modo a obter uma orientação para uma eventual avaliação cardiológica e correção de fatores de risco.

Os exames laboratoriais mais utilizados são a determinação da testosterona total, glicemia e perfil lipídico. Outros exames de diagnóstico que podem ser realizados são a injeção peniana de vasodilatador e o doppler das artérias cavernosas.

Tratamento da disfunção erétil
Na maioria dos casos, é possível tratar eficazmente a disfunção erétil, não ocorrendo no entanto a cura definitiva.

Devem ser adotadas alterações do estilo de vida, promovendo a prática de exercício físico regular e a suspensão do tabagismo, e o controlo de doenças existentes que possam afetar os vasos sanguíneos e nervos que existem do pénis (por exemplo, diabetes mellitus e dislipidemia).

Preferencialmente, deverá ser envolvida a parceira na abordagem terapêutica, de modo a aumentar a adesão, satisfação e cumplicidade do casal no tratamento.

Leia também: Aumento peniano funciona

A terapêutica farmacológica de primeira linha é constituída por fármacos de administração oral, com elevada taxa de sucesso.

As terapêuticas de segunda linha são constituídas por métodos mais invasivos e menos cômodos, como a aplicação de dispositivo de vácuo, injeção peniana de fármaco vasodilatador ou aplicação de comprimido uretral.

A terapêutica de terceira linha é constituída pela prótese peniana, que resulta numa ereção artificial com rigidez que permite a penetração e o controlo da duração da relação sexual.

Em alguns casos, o tratamento com ondas de choque de baixa intensidade pode também ser uma opção eficaz.

Problema de diabetes que afetam a ereção

Por causa de seu diabetes, Yuri tem mais e mais problemas para ter ereções, o que acaba causando tensão em seu relacionamento. Ele decide consultar o Dr. Sylvain Mimoun, andrologista.

Yuri tem 60 anos e é diabético há quinze anos. Uma doença que o compele a prestar constantemente atenção à sua dieta, a medir o açúcar no sangue todos os dias e a tomar remédio. Outro problema relacionado à sua doença, o aparecimento de disfunção erétil.

1ª consulta: desde a sua diabetes, Yuri está bloqueando

Yuri me avisa que parou de tomar medicação antidiabética porque está causando problemas de ereção.

“É um erro”, eu disse. Quando você é diabético, a melhor maneira de recuperar as ereções é ter um nível de açúcar no sangue equilibrado. Seu tratamento é essencial para ter um açúcar no sangue estável. Não é ele quem causa a disfunção erétil, é o próprio diabetes. “

Yuri deve tomar a medicação, mas também monitorar sua dieta, limitar os açúcares e gorduras rápidos. No entanto, isso não é suficiente, na maioria das vezes, para sair do bloqueio que foi instalado.

Sem anomalia física

Se você quer dicas sobre problemas de ereção conheça o Blog da cis.

Como ele não tem uma ereção, ele a observa, o que o pressiona e impede que ele a tenha. “Eu tentei algumas pílulas”, diz ele, “mas leva vinte minutos ou mais para a ereção começar a chegar, é horrível! Por isso, será necessário um tratamento que funcione rapidamente e que dure muito tempo para ter uma ereção de boa qualidade.

Examino Yuri e eu ver que não há nenhuma anormalidade no pênis, sem nódulo, que os testículos são normais, nada fisicamente parece, portanto, explicar a não-funcionamento.

  • Peço uma dosagem hormonal porque, nos diabéticos, os hormônios são ainda mais importantes, pois o açúcar e as gorduras reduzem a eficácia da testosterona biodisponível (sexualmente ativa).
  • Eu também prescrevo um Doppler peniano para ver como o sangue circula no pênis. Em princípio, na sua idade, aproveito a oportunidade para examinar sua próstata, que é de tamanho e consistência normais.

Um casal que não se comunica mais

“Como você está no seu relacionamento? “Bem”, ele responde como muitos homens, mesmo que não seja a realidade … eu continuo: “Você acha que sua esposa viria? “Você acha que é útil para alguma coisa? Ele pergunta. Diante da minha insistência, ele me diz que falará com ele sobre isso.

De fato, em casais que não se comunicam, todos trabalham em tudo ou nada. O homem diz para si mesmo que, como ele não tem uma boa ereção, não vale a pena que ele tente. E a mulher pensa que, se ele não a toca, é porque ela não o quer, ou até ele não gosta mais dela.

Mas drogas vasoativas (Viagra, Cialis, Levitra …) podem não funcionar se o contexto não for favorável. Eu explico para ele e digo: “Quando eu te ver de novo e seu casal ficar melhor, eu vou te dar Vitaros , um creme que você coloca na ponta do pênis e no meato urinário. Esta nova droga, muito eficaz, atuará na ereção sem ferrão ou comprimido. Além disso, desde que você está 100% coberto por causa de seu diabetes, este creme será reembolsado. ”

2ª consulta: Alba vem sozinha um mês depois

Esta linda mulher de 51 anos me disse: “Estou feliz de vir ver você. Yuri falou com seu médico sobre seu problema, mas ele não explica bem as coisas. Sente-se o clima tenso entre eles.

Pergunto a ele: “Há quanto tempo vocês estão juntos? Yuri me disse 30 anos, mas Alba disse: “Já faz 34 anos. No início, tínhamos relatórios regulares e tudo estava indo bem. Mas quando ele teve seu diabetes … “Psicologicamente, Yuri quase não tinha ereção no anúncio de sua doença.

Além disso, neste contexto de crise conjugal, enquanto uma semi-ereção e um começo de penetração são para o homem um sucesso, eles representam um fracasso para sua esposa, o sinal de que ele não quer -lo. Vendo-a desapontada, o homem não está mais excitado … Há uma falta de satisfação de ambos os lados .

“Seu prazer também fará com que ele queira”

“Apesar do contexto, você quer querer? “Claro! Ela me responde. Eu explico para ele:

“Não espere até que ele tenha uma perfeita ereção para fazer alguma coisa. O que importa é antes de mais nada seu prazer. Esse prazer o fará querer também. Isso é chamado de egoísmo compartilhado . Seu sucesso trará confiança e sucesso. Eu aconselho você a ler o novo relatório Hite (ed I Lu), que reúne depoimentos de mulheres sobre sua sexualidade. Leia pelo menos o primeiro capítulo, então o que você gosta … »

O objetivo é que eu a conheça melhor e que ela saiba que tem um papel a desempenhar para que a ereção do marido ocorra . Eu pergunto se entre eles, às vezes, há tensões. “Tensões, não”, disse ela, “mas não tem um caráter fácil. Se fosse melhor sexualmente, ele estaria de melhor humor e todos ficariam mais relaxados.

EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL: CONHEÇA 5 DICAS PARA EMAGRECER COM SAÚDE

EMAGRECIMENTO SAUDÁVEL: CONHEÇA 5 DICAS PARA EMAGRECER COM SAÚDE

Emagrecer com saúde não é mais um desafio impossível.

Nos dias atuais, é cada vez mais fácil emagrecer de forma saudável.

Uma boa alimentação associado a prática de exercícios físicos constantes fazem toda diferença para chegar a uma rotina saudável.

Porém, algumas pessoas são radicais, chegando a fazer dietas por conta própria comprometendo assim sua saúde.

Emagrecer com saúde pode ser algo muito prazeroso e um grande passo em busca de uma melhor qualidade de vida.

Pensando assim, separamos 5 dicas essenciais que podem fazer a diferença pra quem quer emagrecer com saúde.

As consequências do excesso de peso.
Para emagrecer com saúde é muito importante saber que tipo de corpo e o que cada um precisa comer para manter – se saudável.

Uma alimentação à base de gordura e muito açúcar trazem como consequência doenças sem cura como hipertensão e diabetes.

Essas duas doenças sérias são apenas algumas das possíveis consequências do excesso de peso.

A obesidade nos dias de hoje também é considerada uma doença.

De acordo com Ministério da saúde, a obesidade é uma doença crônica e incurável.

Como a gordura precisa ser estocada no organismo, toda pessoa com excesso de peso tem aumento do número de células adiposas (obesidade hiperplásica) ou um aumento do peso das células adiposas (obesidade hipertrófica) ou uma combinação das duas coisas.

O número de jovens que vêm sofrendo danos a saúde por conta do excesso de peso no Brasil vem crescendo a cada ano.

Crianças e adolescentes estão cada vez mais comendo pior e de forma desenfreada.

Por conta disso, acabam se frustrando por não conseguirem emagrecer com saúde e esse problema só cresce.

É cada vez mais importante que a educação alimentar começa em casa.

Se uma criança é estimulada a ingerir alimentos saudáveis como frutas e legumes a tendência é que ela cresça e tenha consciência de que comer bem não significa comer muito.

É importante saber o excesso de peso pode ter outros motivos.

Nos casos em que existe algum problema de saúde, como gastrite, asma, osteoporose, ou mesmo apenas uma limitação de mobilidade, a orientação e conselho dos médicos, para conciliar a dieta com o uso de medicamentos e com a devida adaptação à doença, é fundamental para que seja possível emagrecer melhorando a qualidade de vida, e não o contrário.

Em casos onde mesmo seguindo uma alimentação adequada e praticando exercícios, emagrecer com saúde ainda parece difícil pode ser importante consultar um endocrinologista.

O médico endocrinologista vai analisar se a glândula tireoide está funcionando como deveria.

Além disso, um nutricionista, ou médico nutrólogo, pode ser consultado para estabelecer regras de regime alimentar personalizadas e, assim, ficar mais simples de cumprir.

Comer bem e emagrecer com saúde.
Muitas pessoas acreditam na idéia de uma dieta milagrosa.

O fato é que essas dietas que prometem emagrecer com saúde em pouco tempo pode causar danos irreversíveis.

Seguindo algumas dicas simples é possível emagrecer com saúde e sentir – se bem com o corpo.

Nosso corpo tem que aprender qual a hora de dormir, acordar e comer.

Isso fará com ele funcione melhor, e evitará a fome frequente e as idas noturnas à geladeira, que são as que mais engordam.

Além disso, descansar pelo menos 7 horas por noite dá ânimo para cumprir os compromissos, fazer mais exercícios e resistir às tentações.

Um dica importante é comer de 3 em 3 horas alimentos mais leves como frutas e iogurtes, castanhas e cereais.

Fazer pequenas refeições a cada 3 horas pode parecer exagerado, mas é certo que a fome não aparece.

Dessa forma, as porções de comida, aos poucos, vai diminuindo e o peso também.

Os melhores lanches são: 1 fruta + 5 bolachas sem recheio ou 1 iogurte desnatado + 1 pão integral com manteiga sem gordura.

Mesmo em pequenas quantidades durante o dia, as frutas e legumes fornecem muitas fibras e vitaminas e, por isso, é fonte de saúde e ajuda a emagrecer e perder barriga

Ficar sem comer faz com seu corpo economize calorias, gastando menos do que deveria e transformando todo alimento extra em estoque de gordura.

Preferir alimentos com baixo índice glicêmico ajuda a não ficar com fome entre as principais refeições do dia.

Outra dica muito importante é beber muito líquido entre as refeições.

Essa prática ajuda a diminuir a fome e a retenção de líquido.

Bebendo muito líquido, mais urina nosso corpo produz, e com a sua eliminação também saem as toxinas que prejudicam o emagrecimento.

A dica é beber líquidos preferencialmente até meia hora antes e depois das refeições.

A quantidade de água recomendada necessária varia entre 1,5 e 2 litros por dia.

Líquidos como: água, água de coco, sucos naturais sem açúcar, chás sem açúcar são os que mais demoram no corpo e mais hidratam oferecendo uma sensação de saciedade.

Já os refrigerantes, sucos de caixinha, achocolatados e bebidas alcoólicas além de alto índice calórico saem mais rápidos do corpo e ajudam no ganho de peso.

Emagrecer com saúde praticando exercícios.
Manter uma alimentação é essencial para emagrecer com saúde.

Mas a prática diária de exercícios físicos também auxilia para se atingir uma vida saudável por completo.

O tipo do exercício não é o mais importante, mas sim aproveitar todas as chances para queimar calorias sempre que possível.

Encontrar uma atividade que se encaixe com o que se gosta é essencial.

Dança, natação, academia ou uma simples caminhada, o importante é se movimentar.

O recomendado é que se pratique uma atividade pelo menos 3 vezes por semana no horário que vai de acordo com a sua rotina.

Para aumentar o gasto de energia,podem ser feitas caminhadas de pelo menos 30 min, 3 vezes por semana, pois esse é um dos melhores exercício físicos para perder peso.

Emagrecer com saúde sem o uso de medicamentos.
Nos dias de hoje é comum nos depararmos com medicamentos que prometem redução de peso com rapidez.

Esse tipo de medicamento muitas vezes tem venda proibida e trazem sérios danos à saúde.

Comprimidos, cápsulas, shakes, e uma enorme variedade de produtos prometem milagres.

Infelizmente, em busca do “corpo perfeito’ muitas pessoas acabam ingerindo esse tipo de medicamento sem receita ou orientação médica e no futuro sofrem as consequências.

Alguns medicamentos inibem a fome, levando a pessoa a comer menos do que o corpo necessita.

O fato é que, ingerindo esse tipo de medicação faz com que a redução de peso aconteça, porém deixa a saúde comprometida.

Fraqueza, queda de cabelo, e falta das principais vitaminas que o corpo precisa são apenas uns dos fatores agravantes.

Após perder o peso desejado e interromper o uso desse tipo de medicação o que acontece na maioria dos casos é a recuperação de todo peso perdido.

Existem três classes de remédios para emagrecer.

A primeira classe é formada pelos inibidores de apetite, que fazem com que se sinta menos fome e passe longas horas sem comer.

A segunda ajuda a estimular a saciedade, diminuindo a vontade de comer doces e carboidratos.

A terceira classe consiste em remédios que impedem que o organismo absorva a gordura consumida.

Essas três classes de remédios auxiliam no emagrecimento, pois além de diminuir o apetite, ajudam a acelerar a queima de gorduras.

remédios para perder peso é recomendado apenas em casos de obesidade.

Leia também: Fit Mzt fiunciona

Além disso o uso abusivo de medicamentos para emagrecer pode causar diversos efeitos colaterais como problemas de sono, diminuição da libido, boca seca, nervosismo, ansiedade, doenças cardíacas, desconcentração, agressividade e crises de pânico.

Portanto, para um emagrecimento saudável, uma reeducação alimentar é essencial.

Emagrecer com saúde e desafio de manter o peso.
Sabendo que é possível emagrecer com saúde não é segredo que também é possível manter o novo peso.

Continuando com hábitos saudáveis, reeducação alimentar, dedicação e algumas atitudes básicas, é possível não adquirir novamente os quilinhos eliminados durante o processo de emagrecimento.

Um dos pontos principais de uma reeducação alimentar é justamente mudar os hábitos com o objetivo de tornar sua vida mais saudável, substituindo de uma vez aqueles que fazem mal à saúde por ações que contribuem com o bem-estar e bom funcionamento do organismo.

Sendo assim, continue a se alimentar de frutas, vegetais, grãos integrais e ingredientes com baixa quantidade de gordura e evite gorduras trans e saturadas e comidas com alto teor de açúcar.

Mantenha uma dieta alimentar com baixa quantidade de calorias.

A maioria das pessoas que conseguem manter-se mais magras continuam a comer menos calorias do que costumavam ingerir quando estavam com os quilinhos a mais.

É fundamental conferir o peso pelo menos uma vez em cada semana e verificar se tudo continua conforme o planejado.

Assim, se houver um aumento, por menor que seja, o indivíduo terá tempo para ficar alerta e tentar correr atrás do prejuízo.

É uma ótima maneira de não cair na tentação de comer qualquer bobagem somente para matar a fome.

Fazer um cardápio semanal com todas as suas refeições e inclua alimentos com baixo teor de gordura e carboidratos no cardápio.

Depois de certo tempo de ter conseguido perder o peso e perceber que conseguiu manter a uma alimentação saudável e não voltar à vida sedentária, dê um prêmio a si mesmo e de vez em quando coma um doce ou guloseima que você tanto sente falta.

Mas atenção, é preciso tomar cuidado para que isso não volte a se tornar um hábito, apenas que seja algo passageiro, como um sinal de que você consegue manter o peso ideal sem se privar de suas comidas preferidas e nem perder o controle quando for consumi-las.

Agora que você já conhece mais algumas dicas de emagrecer com saúde pode dar seu primeiro passo para uma vida mais saudável.

Sempre estando atento aos excessos e se preciso procurar ajuda de um especialista que pode orientar melhor.

Assim você poderá aproveitar melhor e usufruir de uma vida longa e saudável.

Leia também: Kifina

O orgasmo feminino também é importante.

Todas as mulheres falam sobre isso, todas querem alcançá-lo. De onde vem o orgasmo feminino, como isso acontece, por que é tão bom? Zoom sobre os mistérios deste fenômeno que tanto amamos.

Manifestações físicas do orgasmo

Durante o orgasmo da mulher, o clitóris se retrai, a vagina sofre uma dúzia de contrações involuntárias, o períneo e o útero se contraem por sacada. As primeiras contrações são as mais intensas e diminuem em frequência e intensidade. 
Ao mesmo tempo, podemos observar que os mamilos apontam, o coração acelera e os vasos sanguíneos se dilatam, causando vermelhidão da pele. Tudo é estimulado durante este supremo prazer que as mulheres amam. E é normal: o orgasmo leva a uma secreção de endorfina, a molécula da felicidade, que proporciona uma sensação incomparável de bem-estar. 
Algumas mulheres raras também podem secretar um líquido esbranquiçado. Estamos falando de mulheres fontes.

Como alcançar o orgasmo

Em geral, é a estimulação das zonas sexuais que desencadeiam o orgasmo na mulher: carícias preliminares (manuais ou orais), cunilíngua , masturbação, penetração. Mas a melhor maneira de alcançá-lo é conhecer bem o corpo dele. 
Temos diferentes pontos sensoriais que podem nos enviar para o sétimo céu. Ainda precisa saber onde eles estão! 
A solução: descobrir seu corpo, sozinho ou em pares, brinquedo sexual ou não, para detectar suas áreas mais problemáticas. 
Algumas posições são mais propícias do que outras à obtenção do orgasmo: para alcançá-lo, é necessário favorecer as posições. isso permite o contato próximo entre o clitóris e o sexo ou o corpo de seu sócio.

Ou use produtos que te ajudam a chegar lá como o Tá Tarada.

Quais são os diferentes tipos de orgasmos?

Existem basicamente dois tipos de orgasmos femininos: orgasmo clitoriano e orgasmo vaginal.

Orgasmo clitoriano é o orgasmo mais freqüentemente obtido e mais fácil de alcançar … é ainda assim agradável! é acionado pelo clitóris , um pequeno órgão localizado entre os lábios, em frente ao sexo. Facilmente acessível e muito sensível, pode ocorrer com carícias simples. 
Há até mesmo cremes estimulantes do clitóris que podem ajudá-lo a alcançar o sétimo céu! Dizem que o orgasmo clitoriano é superficial.

O orgasmo vaginal desencadeada por estimulação do ponto de Gräfenberg, comumente chamado de ponto G . Localizado a cerca de 4 cm da entrada da vagina. Tem a forma de uma pequena bola palpável de menos de um centímetro que aumenta de tamanho durante a estimulação. Localizado no lado da bexiga, não é incomum para ir para uma caminhada até o banheiro depois de um orgasmo vaginal. 
Para localizá-lo, uma estimulação regular por repetidas pressões com a ajuda de seu dedo ou um brinquedo sexual permitirá que você o sensibilize.
O orgasmo vaginal seria particularmente profundo, mais intenso que o orgasmo clitoriano. O que é certo é que certas posições permitem uma maior pressão do sexo do homem contra o ponto G e são, portanto, mais propensas a nos fazer alcançar esse tão delicioso orgasmo feminino.

Conquiste o ponto G!

Alguns números

  • 95% das mulheres atingem o orgasmo clitoriano através da masturbação
  • 45% dos orgasmos clitorianos vêm de carícias com o parceiro.
  • Apenas 30% das mulheres atingem o orgasmo vaginal.

Se tivermos certeza de que todos nós temos um ponto G, só precisamos fazer com que ele “acorde”. Certas posições favorecem seu desencadeamento: Você pode, por exemplo, tentar praticar a posição do missionário se a mulher colocar as pernas nos ombros de seu parceiro ou no galgo que permita uma penetração mais profunda.

Os
orgasmos repetitivos são raros, mas existem. Ao contrário dos homens, que têm uma necessidade fisiológica de recuperação após o ato sexual (o período refratário), cerca de 13% das mulheres podem ter vários orgasmos durante a relação sexual. Clitoriano, vaginal, eles podem ser acorrentados por um prazer extremo!

Clareamento dental caseiro: como fazer?

Clareamento dental caseiro: como fazer?

Clareamento dental caseiro usa técnica é feita a partir do uso de um gel e uma placa de silicone colocada sobre os dentes, o tratamento é capaz de branquear os dentes em poucas semanas e além de baixo custo, tem efeito duradouro.

Os dentes são muito sensíveis e o contato com diferentes substâncias durante a rotina os deixam sempre muito expostos a danos. Ainda que a escovação seja feita da maneira correta e várias vezes ao dia, o surgimento de cáries, tártaros e o escurecimento dos dentes é bastante comum. O clareamento caseiro pode ser feito é ideal para tornar os dentes mais brancos e saudáveis, podendo ser realizado uma vez a cada três ou quatro anos.

Resgate o sorriso branco com o clareamento feito em casa. (Foto: Divulgação)

Leia também: WhiteDent Anvisa

Como fazer clareamento dental caseiro?
Para fazer o clareamento dental caseiro também é necessário obter orientação de um cirurgião dentista, somente esse profissional pode indicar qual o melhor gel clareador utilizar e por quanto tempo. Além disso, o molde de silicone usado no tratamento deve ter encaixe perfeito para os dentes e arcada, para isso, é necessário que ele seja feito sob medida em clínicas odontológicas.

Após adquirir o molde e receber todas as orientações necessárias, o clareamento pode ser iniciado e feito em casa, pelo próprio paciente. O gel clareador indicado pelo dentista tem que ser depositado em quantidade moderada no molde de silicone, em seguida, o molde deve ser encaixado, permanecendo em contato com os dentes por um período de um a quatro horas por dia.

O resultado do clareamento caseiro é perceptível após uma semana de tratamento, no entanto, é importante manter a rotina de uso do gel e molde até o décimo quarto, contados a partir da primeira aplicação. Finalizado o clareamento, é recomendada a consulta com um cirurgião dentista.

Moldeira para clareamento caseiro. (Foto: Divulgação)

Cuidados necessários
Por ser um procedimento feito em casa, são necessários alguns cuidados para evitar a irritação no esmalte dos dentes e até mesmo a hipersensibilidade. Durante o clareamento, é preciso manter a higiene bucal, escovando os dentes após toda e qualquer refeição. Evitar a ingestão de alguns alimentos também contribui para um bom resultado, entre eles estão o café, o refrigerante de cola, molhos escuros e o vinho.

Depois das primeiras aplicações do gel clareador podem surgir manchas brancas nos dentes. Quando isso ocorre é porque na verdade essas manchas já existiam, mas se tornaram ainda mais perceptíveis por conta do efeito do clareador. Nesses casos é necessário realizar também um tratamento com íons de flúor em consultório odontológico.

O tratamento caseiro para clarear os dentes tem resultado muito positivo na maioria dos casos, os dentes podem se manter brancos e sem manchas por até cinco anos. Vale ressaltar que em fumantes a duração é menor, podendo ser necessário realizar o clareamento uma vez a cada dois anos, a sugestão para prolongar esse tempo é combinar o clareamento caseiro com o de consultório.

Saiba a melhor forma de reverter a disfunção erétil

Adoção de um estilo de vida mais saudável é recomendado em um terço dos casos

Ao atrair milhares às farmácias do país e vender mais de 2,4 milhões de unidades em seis meses, uma pilulazinha azul evidenciou um tipo de problema que a população masculina insistia, por constrangimento, em manter silenciado. Quase 17 anos depois do lançamento do Viagra, os medicamentos para disfunção erétil ainda são lembrados como a principal forma de tratamento pelos brasileiros – 25 milhões deles sofrem da doença. O que a maioria não sabe é que, em cerca de um terço dos casos, a impotência, que tanto abala a autoestima e desonra o clichê machista da virilidade, pode ser revertida com a simples adoção de um estilo de vida mais saudável.

Leia também: Viagra Natural é bom

Foi o que apontou uma pesquisa realizada no Centro de Saúde Masculina da Fundação Freemansons, da Universidade de Adelaide, na Austrália, com dados que foram corroborados pelos especialistas do Brasil ouvidos pela reportagem. Perder peso, comer melhor, abolir o sedentarismo, ter boas noites de sono, deixar o cigarro de lado e diminuir a ingestão de bebidas alcoólicas são hábitos que podem ajudar a resolver falhas de ereção. O problema nem sempre é tão embaixo.

Entre os jovens, por exemplo, muitos dos casos de impotência sexual são causados por questões psicológicas como ansiedade, depressão e incertezas sobre o futuro profissional. Nos mais velhos, a disfunção erétil pode ser consequência, se não do avanço da idade, de condições mais sérias de saúde, como diabetes, obesidade, câncer de próstata e problemas cardiovasculares.

– É preciso consertar esses “erros” no indivíduo antes de apelar para remédios orais contra a disfunção erétil. No caso dos jovens, às vezes apenas a terapia é suficiente. Uma pessoa com excesso de peso, por exemplo, tende a ter problemas de circulação e, por conta disso, a ter uma vida sexual de má qualidade. Corrigir a alimentação é uma maneira de tentar recuperar a função sexual naturalmente – afirma o urologista Sergio Iankowski, autor do livro “Ereção e Falha, Falhou Por Quê?”.

Não conseguir manter o pênis rígido é o medo máximo do homem brasileiro. Força de expressão? Não. Um estudo encomendado pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) demonstrou que esse receio é maior do que o de ser traído, perder o emprego ou até mesmo sofrer um assalto.

Entre os problemas de saúde, o temor de ficar impotente só perde para o medo de ter câncer. A pesquisa ouviu 3,5 mil homens com mais de 40 anos, em sete cidades do país.

– Os homens associam a ereção ao estereótipo da masculinidade, o que gera um grau muito grande de autocobrança. Se existe falha, é comum que, abalados psicologicamente e no afã de sanar logo o problema, procurem os medicamentos – diz o especialista em urologia Raphael Moreira, médico do Hospital Samaritano, em São Paulo.

Disfunção erétil do tabagismo e álcool

A disfunção erétil (DE), também chamada de impotência, pode ser causada por uma ampla gama de fatores físicos e psicológicos. Entre estes, também há fumaça de cigarro.

Não nos surpreende, uma vez que fumar pode danificar os vasos sanguíneos e a disfunção erétil é frequentemente o resultado de uma dieta pobre, o que resulta na dificuldade de ingresso de sangue arterial no pênis. Felizmente, se você parar de fumar, a saúde de suas artérias e vasos sanguíneos irá melhorar muito, indo de mãos dadas com um melhor desempenho sexual.

Conheça o Gandrox XL, o estimulante que esta acabando com todos os problemas sexuais masculinas.

Fumo e vasos sanguíneos

Você provavelmente já ouviu falar muito sobre os riscos para a saúde de fumar. Isso ocorre porque o tabagismo pode danificar quase todas as partes do seu corpo. Os produtos químicos presentes na fumaça do cigarro danificam o revestimento dos vasos sanguíneos e afetam a maneira como eles funcionam. Essas substâncias também podem danificar o coração, o cérebro, os rins e vários outros tecidos por todo o corpo.

O risco de fumar para atividade sexual é especificamente devido aos efeitos de produtos químicos nos cigarros nos vasos sanguíneos do pênis. A ereção ocorre quando as artérias do pênis aumentam e se enchem de sangue após receber sinais dos nervos no pênis. Nesse caso, os nervos estão respondendo aos sinais de excitação sexual enviados pelo cérebro. Mesmo que o sistema nervoso esteja funcionando em plena capacidade, a ereção pode não ser fisicamente possível se os vasos sanguíneos apresentarem mau funcionamento devido ao fumo.

Fumar causa disfunção eréctil por causa da ‘ aterosclerose , ou seja, a acumulação de gordura nas artérias, impedindo o fluxo sanguíneo através dos vasos, provocando uma série de problemas circulatórios por todo o corpo, incluindo a disfunção eréctil.

Em um estudo, os pesquisadores analisaram dados de 4.764 homens chineses com idade média de 47 anos que completaram uma pesquisa de saúde. Nas questões, perguntou-se a relação entre o tabagismo e a qualidade das relações sexuais.
Homens que fumavam mais de 20 cigarros por dia tinham um risco 60% maior de desenvolver disfunção erétil do que os homens que nunca fumaram. 15% das pessoas que fumaram no passado tiveram disfunção erétil.
Homens que fumam têm muito mais chance (30% a mais) de sofrer de impotência. Entre os homens que nunca fumaram, apenas 12% tinham problemas de ereção. Esta é apenas uma das muitas razões que devem levar as pessoas a parar de fumar. É preciso muita perseverança e dedicação, mas certamente os benefícios para a saúde serão enormes.

Álcool e disfunção erétil

Beber excesso de álcool pode causar problemas nas relações sexuais, assim como na própria relação. O Dr. Abigael San , psicólogo e especialista em álcool, diz que isso ocorre porque o álcool reduz a sensibilidade sexual em homens e mulheres.

Muitas pessoas acreditam erroneamente que o álcool é um afrodisíaco. No entanto, com o tempo, o excesso de álcool pode prejudicar seu desejo sexual.

Beber muito por um período prolongado de tempo pode transformar uma condição temporária em impotência manifesta. Beber álcool também pode afetar a fertilidade se você planeja ter filhos. As mulheres que bebem muito podem precisar de mais tempo para engravidar.

Não pense que esses problemas afetam apenas os adultos: na verdade, a disfunção erétil aos 30 anos é muito mais difundida do que se pensa e está relacionada ao abuso do álcool e do fumo por parte dos jovens.

Dores nas articulações na frança

93% dos franceses relatam já ter sofrido  dores nas articulações. Eles são  transitórios (agudos) ou regulares por longos períodos (crônicos) . A dor pode ser  de mecânica, traumática, inflamatória .. . As causas são muitas: pode ser osteoartrite , artrite , artrite reumatóide , inflamação devido ao choque ou muito estresse. Um ataque de gota ou um vírus  (como a gripe) também pode causar os sintomas.

Para lutar contra essa dor, existe um arsenal terapêutico razoavelmente grande. Enquanto os médicos geralmente usam os resultados mais recentes da pesquisa, muitas vezes esquece-se que alguns medicamentos estabelecidos há muito tempo também podem aliviar o paciente de forma eficaz. Em todos os casos, o tratamento deve ser adaptado à intensidade de sua dor, sua origem, sua duração …

Paracetamol eficaz para dor articular leve

O paracetamol foi descoberto em 1883. Todos já o fizeram pelo menos uma vez! É uma das 5 drogas mais prescritas no mundo. Sua eficácia contra as dores reumatóides é muito boa , comparável à do ibuprofeno e, acima de tudo, é  bem tolerada pelo sistema digestivo . Quando não há inflamação , ela pode ser usada no tratamento da dor articular. É recomendado pela Liga Europeia Contra a Osteoartrite (EULAR). O efeito analgésico do paracetamol ocorreapós 30 minutos e leva cerca de 4 horas . É por isso que é essencial levá-lo em um horário fixo. O tratamento pode ser dividido em quatro doses: 8 h, 12 h, 17 h, 22 h.

Anti-inflamatórios não esteroides (AINEs)

Em casos de inflamação grave , como osteoartrite grave do joelho (com dor e inchaço), os AINEs ( antiinflamatórios não esteróides) continuam sendo a melhor solução. São drogas que visam diminuir ou eliminar os sintomas causados ​​pela inflamação . Eles têm propriedades anti-inflamatórias e analgésicas que os tornam interessantes no tratamento da dor articular. Na artrite reumatóide, por exemplo, eles tratam a dor e a rigidez matinal.

Existem agora cerca de dez medicamentos que abrangem diferentes famílias químicas, incluindo ibuprofeno, piroxicam, diclofenac etc. A desvantagem dos AINEs é que eles podem causar efeitos colaterais como distúrbios digestivos(dor, náusea, queimaduras, diarréia …) mais frequentemente, mas também riscos de pressão alta, vertigem, ataques de asma. … Eles também são contraindicados em alguns casos , como amamentação, para mulheres grávidas a partir do 6º mês de gravidez, pessoas com menos de 15 anos ou mais de 65 anos … Antes de tomar este tratamento procure aconselhamento do seu médico ou farmacêutico para aqueles vendidos sem receita médica.

Soluções não medicamentosas existem

Algumas estratégias não medicamentosas podem ser usadas:

  • O frio , especialmente através do protocolo do GREC , mais conhecido no contexto da medicina esportiva. Consiste em 4 etapas:  Gelo, Repouso, Elevação da articulação afetada e Compressão usando bandagem;
  • Calor , especialmente para aliviar a dor da osteoartrite;
  • Tratamentos de spa , a Sociedade Francesa de Reumatologia recomenda-lhes para aliviar os sintomas durante um período de vários meses. Por outro lado, eles não são adequados para tratar dores intensas.

Se você não conhece o Regenemax está na hora de conhecer

Alivie a dor nas articulações com soluções naturais

para tratar a dor nas articulações, é possível recorrer a soluções mais suaves. Alguns óleos essenciais , como o eucalipto-limão , conhecido por suas propriedades anti-inflamatórias, podem ser aplicados em massagens na área dolorida. Açafrão também é conhecido por ser um anti-inflamatório. Fácil de integrar na preparação das refeições, atua contra a rigidez e o desconforto funcional.

Um cataplasma de argila verde ou vermelha, graças às suas propriedades analgésicas e relaxantes, também pode ser eficaz. Para os seguidores da homeopatia, Arnica 5CH é uma solução interessante: anti-equimose, analgésico, anti-inflamatório, arnica é uma planta com muitas virtudes. Para saber mais, leia nosso artigo 10 soluções naturais para aliviar a dor nas articulações .