Autor: super-admin

O orgasmo feminino também é importante.

Todas as mulheres falam sobre isso, todas querem alcançá-lo. De onde vem o orgasmo feminino, como isso acontece, por que é tão bom? Zoom sobre os mistérios deste fenômeno que tanto amamos.

Manifestações físicas do orgasmo

Durante o orgasmo da mulher, o clitóris se retrai, a vagina sofre uma dúzia de contrações involuntárias, o períneo e o útero se contraem por sacada. As primeiras contrações são as mais intensas e diminuem em frequência e intensidade. 
Ao mesmo tempo, podemos observar que os mamilos apontam, o coração acelera e os vasos sanguíneos se dilatam, causando vermelhidão da pele. Tudo é estimulado durante este supremo prazer que as mulheres amam. E é normal: o orgasmo leva a uma secreção de endorfina, a molécula da felicidade, que proporciona uma sensação incomparável de bem-estar. 
Algumas mulheres raras também podem secretar um líquido esbranquiçado. Estamos falando de mulheres fontes.

Como alcançar o orgasmo

Em geral, é a estimulação das zonas sexuais que desencadeiam o orgasmo na mulher: carícias preliminares (manuais ou orais), cunilíngua , masturbação, penetração. Mas a melhor maneira de alcançá-lo é conhecer bem o corpo dele. 
Temos diferentes pontos sensoriais que podem nos enviar para o sétimo céu. Ainda precisa saber onde eles estão! 
A solução: descobrir seu corpo, sozinho ou em pares, brinquedo sexual ou não, para detectar suas áreas mais problemáticas. 
Algumas posições são mais propícias do que outras à obtenção do orgasmo: para alcançá-lo, é necessário favorecer as posições. isso permite o contato próximo entre o clitóris e o sexo ou o corpo de seu sócio.

Ou use produtos que te ajudam a chegar lá como o Tá Tarada.

Quais são os diferentes tipos de orgasmos?

Existem basicamente dois tipos de orgasmos femininos: orgasmo clitoriano e orgasmo vaginal.

Orgasmo clitoriano é o orgasmo mais freqüentemente obtido e mais fácil de alcançar … é ainda assim agradável! é acionado pelo clitóris , um pequeno órgão localizado entre os lábios, em frente ao sexo. Facilmente acessível e muito sensível, pode ocorrer com carícias simples. 
Há até mesmo cremes estimulantes do clitóris que podem ajudá-lo a alcançar o sétimo céu! Dizem que o orgasmo clitoriano é superficial.

O orgasmo vaginal desencadeada por estimulação do ponto de Gräfenberg, comumente chamado de ponto G . Localizado a cerca de 4 cm da entrada da vagina. Tem a forma de uma pequena bola palpável de menos de um centímetro que aumenta de tamanho durante a estimulação. Localizado no lado da bexiga, não é incomum para ir para uma caminhada até o banheiro depois de um orgasmo vaginal. 
Para localizá-lo, uma estimulação regular por repetidas pressões com a ajuda de seu dedo ou um brinquedo sexual permitirá que você o sensibilize.
O orgasmo vaginal seria particularmente profundo, mais intenso que o orgasmo clitoriano. O que é certo é que certas posições permitem uma maior pressão do sexo do homem contra o ponto G e são, portanto, mais propensas a nos fazer alcançar esse tão delicioso orgasmo feminino.

Conquiste o ponto G!

Alguns números

  • 95% das mulheres atingem o orgasmo clitoriano através da masturbação
  • 45% dos orgasmos clitorianos vêm de carícias com o parceiro.
  • Apenas 30% das mulheres atingem o orgasmo vaginal.

Se tivermos certeza de que todos nós temos um ponto G, só precisamos fazer com que ele “acorde”. Certas posições favorecem seu desencadeamento: Você pode, por exemplo, tentar praticar a posição do missionário se a mulher colocar as pernas nos ombros de seu parceiro ou no galgo que permita uma penetração mais profunda.

Os
orgasmos repetitivos são raros, mas existem. Ao contrário dos homens, que têm uma necessidade fisiológica de recuperação após o ato sexual (o período refratário), cerca de 13% das mulheres podem ter vários orgasmos durante a relação sexual. Clitoriano, vaginal, eles podem ser acorrentados por um prazer extremo!

Clareamento dental caseiro: como fazer?

Clareamento dental caseiro: como fazer?

Clareamento dental caseiro usa técnica é feita a partir do uso de um gel e uma placa de silicone colocada sobre os dentes, o tratamento é capaz de branquear os dentes em poucas semanas e além de baixo custo, tem efeito duradouro.

Os dentes são muito sensíveis e o contato com diferentes substâncias durante a rotina os deixam sempre muito expostos a danos. Ainda que a escovação seja feita da maneira correta e várias vezes ao dia, o surgimento de cáries, tártaros e o escurecimento dos dentes é bastante comum. O clareamento caseiro pode ser feito é ideal para tornar os dentes mais brancos e saudáveis, podendo ser realizado uma vez a cada três ou quatro anos.

Resgate o sorriso branco com o clareamento feito em casa. (Foto: Divulgação)

Leia também: WhiteDent Anvisa

Como fazer clareamento dental caseiro?
Para fazer o clareamento dental caseiro também é necessário obter orientação de um cirurgião dentista, somente esse profissional pode indicar qual o melhor gel clareador utilizar e por quanto tempo. Além disso, o molde de silicone usado no tratamento deve ter encaixe perfeito para os dentes e arcada, para isso, é necessário que ele seja feito sob medida em clínicas odontológicas.

Após adquirir o molde e receber todas as orientações necessárias, o clareamento pode ser iniciado e feito em casa, pelo próprio paciente. O gel clareador indicado pelo dentista tem que ser depositado em quantidade moderada no molde de silicone, em seguida, o molde deve ser encaixado, permanecendo em contato com os dentes por um período de um a quatro horas por dia.

O resultado do clareamento caseiro é perceptível após uma semana de tratamento, no entanto, é importante manter a rotina de uso do gel e molde até o décimo quarto, contados a partir da primeira aplicação. Finalizado o clareamento, é recomendada a consulta com um cirurgião dentista.

Moldeira para clareamento caseiro. (Foto: Divulgação)

Cuidados necessários
Por ser um procedimento feito em casa, são necessários alguns cuidados para evitar a irritação no esmalte dos dentes e até mesmo a hipersensibilidade. Durante o clareamento, é preciso manter a higiene bucal, escovando os dentes após toda e qualquer refeição. Evitar a ingestão de alguns alimentos também contribui para um bom resultado, entre eles estão o café, o refrigerante de cola, molhos escuros e o vinho.

Depois das primeiras aplicações do gel clareador podem surgir manchas brancas nos dentes. Quando isso ocorre é porque na verdade essas manchas já existiam, mas se tornaram ainda mais perceptíveis por conta do efeito do clareador. Nesses casos é necessário realizar também um tratamento com íons de flúor em consultório odontológico.

O tratamento caseiro para clarear os dentes tem resultado muito positivo na maioria dos casos, os dentes podem se manter brancos e sem manchas por até cinco anos. Vale ressaltar que em fumantes a duração é menor, podendo ser necessário realizar o clareamento uma vez a cada dois anos, a sugestão para prolongar esse tempo é combinar o clareamento caseiro com o de consultório.

Saiba a melhor forma de reverter a disfunção erétil

Adoção de um estilo de vida mais saudável é recomendado em um terço dos casos

Ao atrair milhares às farmácias do país e vender mais de 2,4 milhões de unidades em seis meses, uma pilulazinha azul evidenciou um tipo de problema que a população masculina insistia, por constrangimento, em manter silenciado. Quase 17 anos depois do lançamento do Viagra, os medicamentos para disfunção erétil ainda são lembrados como a principal forma de tratamento pelos brasileiros – 25 milhões deles sofrem da doença. O que a maioria não sabe é que, em cerca de um terço dos casos, a impotência, que tanto abala a autoestima e desonra o clichê machista da virilidade, pode ser revertida com a simples adoção de um estilo de vida mais saudável.

Leia também: Viagra Natural é bom

Foi o que apontou uma pesquisa realizada no Centro de Saúde Masculina da Fundação Freemansons, da Universidade de Adelaide, na Austrália, com dados que foram corroborados pelos especialistas do Brasil ouvidos pela reportagem. Perder peso, comer melhor, abolir o sedentarismo, ter boas noites de sono, deixar o cigarro de lado e diminuir a ingestão de bebidas alcoólicas são hábitos que podem ajudar a resolver falhas de ereção. O problema nem sempre é tão embaixo.

Entre os jovens, por exemplo, muitos dos casos de impotência sexual são causados por questões psicológicas como ansiedade, depressão e incertezas sobre o futuro profissional. Nos mais velhos, a disfunção erétil pode ser consequência, se não do avanço da idade, de condições mais sérias de saúde, como diabetes, obesidade, câncer de próstata e problemas cardiovasculares.

– É preciso consertar esses “erros” no indivíduo antes de apelar para remédios orais contra a disfunção erétil. No caso dos jovens, às vezes apenas a terapia é suficiente. Uma pessoa com excesso de peso, por exemplo, tende a ter problemas de circulação e, por conta disso, a ter uma vida sexual de má qualidade. Corrigir a alimentação é uma maneira de tentar recuperar a função sexual naturalmente – afirma o urologista Sergio Iankowski, autor do livro “Ereção e Falha, Falhou Por Quê?”.

Não conseguir manter o pênis rígido é o medo máximo do homem brasileiro. Força de expressão? Não. Um estudo encomendado pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) demonstrou que esse receio é maior do que o de ser traído, perder o emprego ou até mesmo sofrer um assalto.

Entre os problemas de saúde, o temor de ficar impotente só perde para o medo de ter câncer. A pesquisa ouviu 3,5 mil homens com mais de 40 anos, em sete cidades do país.

– Os homens associam a ereção ao estereótipo da masculinidade, o que gera um grau muito grande de autocobrança. Se existe falha, é comum que, abalados psicologicamente e no afã de sanar logo o problema, procurem os medicamentos – diz o especialista em urologia Raphael Moreira, médico do Hospital Samaritano, em São Paulo.

Disfunção erétil do tabagismo e álcool

A disfunção erétil (DE), também chamada de impotência, pode ser causada por uma ampla gama de fatores físicos e psicológicos. Entre estes, também há fumaça de cigarro.

Não nos surpreende, uma vez que fumar pode danificar os vasos sanguíneos e a disfunção erétil é frequentemente o resultado de uma dieta pobre, o que resulta na dificuldade de ingresso de sangue arterial no pênis. Felizmente, se você parar de fumar, a saúde de suas artérias e vasos sanguíneos irá melhorar muito, indo de mãos dadas com um melhor desempenho sexual.

Conheça o Gandrox XL, o estimulante que esta acabando com todos os problemas sexuais masculinas.

Fumo e vasos sanguíneos

Você provavelmente já ouviu falar muito sobre os riscos para a saúde de fumar. Isso ocorre porque o tabagismo pode danificar quase todas as partes do seu corpo. Os produtos químicos presentes na fumaça do cigarro danificam o revestimento dos vasos sanguíneos e afetam a maneira como eles funcionam. Essas substâncias também podem danificar o coração, o cérebro, os rins e vários outros tecidos por todo o corpo.

O risco de fumar para atividade sexual é especificamente devido aos efeitos de produtos químicos nos cigarros nos vasos sanguíneos do pênis. A ereção ocorre quando as artérias do pênis aumentam e se enchem de sangue após receber sinais dos nervos no pênis. Nesse caso, os nervos estão respondendo aos sinais de excitação sexual enviados pelo cérebro. Mesmo que o sistema nervoso esteja funcionando em plena capacidade, a ereção pode não ser fisicamente possível se os vasos sanguíneos apresentarem mau funcionamento devido ao fumo.

Fumar causa disfunção eréctil por causa da ‘ aterosclerose , ou seja, a acumulação de gordura nas artérias, impedindo o fluxo sanguíneo através dos vasos, provocando uma série de problemas circulatórios por todo o corpo, incluindo a disfunção eréctil.

Em um estudo, os pesquisadores analisaram dados de 4.764 homens chineses com idade média de 47 anos que completaram uma pesquisa de saúde. Nas questões, perguntou-se a relação entre o tabagismo e a qualidade das relações sexuais.
Homens que fumavam mais de 20 cigarros por dia tinham um risco 60% maior de desenvolver disfunção erétil do que os homens que nunca fumaram. 15% das pessoas que fumaram no passado tiveram disfunção erétil.
Homens que fumam têm muito mais chance (30% a mais) de sofrer de impotência. Entre os homens que nunca fumaram, apenas 12% tinham problemas de ereção. Esta é apenas uma das muitas razões que devem levar as pessoas a parar de fumar. É preciso muita perseverança e dedicação, mas certamente os benefícios para a saúde serão enormes.

Álcool e disfunção erétil

Beber excesso de álcool pode causar problemas nas relações sexuais, assim como na própria relação. O Dr. Abigael San , psicólogo e especialista em álcool, diz que isso ocorre porque o álcool reduz a sensibilidade sexual em homens e mulheres.

Muitas pessoas acreditam erroneamente que o álcool é um afrodisíaco. No entanto, com o tempo, o excesso de álcool pode prejudicar seu desejo sexual.

Beber muito por um período prolongado de tempo pode transformar uma condição temporária em impotência manifesta. Beber álcool também pode afetar a fertilidade se você planeja ter filhos. As mulheres que bebem muito podem precisar de mais tempo para engravidar.

Não pense que esses problemas afetam apenas os adultos: na verdade, a disfunção erétil aos 30 anos é muito mais difundida do que se pensa e está relacionada ao abuso do álcool e do fumo por parte dos jovens.

Dores nas articulações na frança

93% dos franceses relatam já ter sofrido  dores nas articulações. Eles são  transitórios (agudos) ou regulares por longos períodos (crônicos) . A dor pode ser  de mecânica, traumática, inflamatória .. . As causas são muitas: pode ser osteoartrite , artrite , artrite reumatóide , inflamação devido ao choque ou muito estresse. Um ataque de gota ou um vírus  (como a gripe) também pode causar os sintomas.

Para lutar contra essa dor, existe um arsenal terapêutico razoavelmente grande. Enquanto os médicos geralmente usam os resultados mais recentes da pesquisa, muitas vezes esquece-se que alguns medicamentos estabelecidos há muito tempo também podem aliviar o paciente de forma eficaz. Em todos os casos, o tratamento deve ser adaptado à intensidade de sua dor, sua origem, sua duração …

Paracetamol eficaz para dor articular leve

O paracetamol foi descoberto em 1883. Todos já o fizeram pelo menos uma vez! É uma das 5 drogas mais prescritas no mundo. Sua eficácia contra as dores reumatóides é muito boa , comparável à do ibuprofeno e, acima de tudo, é  bem tolerada pelo sistema digestivo . Quando não há inflamação , ela pode ser usada no tratamento da dor articular. É recomendado pela Liga Europeia Contra a Osteoartrite (EULAR). O efeito analgésico do paracetamol ocorreapós 30 minutos e leva cerca de 4 horas . É por isso que é essencial levá-lo em um horário fixo. O tratamento pode ser dividido em quatro doses: 8 h, 12 h, 17 h, 22 h.

Anti-inflamatórios não esteroides (AINEs)

Em casos de inflamação grave , como osteoartrite grave do joelho (com dor e inchaço), os AINEs ( antiinflamatórios não esteróides) continuam sendo a melhor solução. São drogas que visam diminuir ou eliminar os sintomas causados ​​pela inflamação . Eles têm propriedades anti-inflamatórias e analgésicas que os tornam interessantes no tratamento da dor articular. Na artrite reumatóide, por exemplo, eles tratam a dor e a rigidez matinal.

Existem agora cerca de dez medicamentos que abrangem diferentes famílias químicas, incluindo ibuprofeno, piroxicam, diclofenac etc. A desvantagem dos AINEs é que eles podem causar efeitos colaterais como distúrbios digestivos(dor, náusea, queimaduras, diarréia …) mais frequentemente, mas também riscos de pressão alta, vertigem, ataques de asma. … Eles também são contraindicados em alguns casos , como amamentação, para mulheres grávidas a partir do 6º mês de gravidez, pessoas com menos de 15 anos ou mais de 65 anos … Antes de tomar este tratamento procure aconselhamento do seu médico ou farmacêutico para aqueles vendidos sem receita médica.

Soluções não medicamentosas existem

Algumas estratégias não medicamentosas podem ser usadas:

  • O frio , especialmente através do protocolo do GREC , mais conhecido no contexto da medicina esportiva. Consiste em 4 etapas:  Gelo, Repouso, Elevação da articulação afetada e Compressão usando bandagem;
  • Calor , especialmente para aliviar a dor da osteoartrite;
  • Tratamentos de spa , a Sociedade Francesa de Reumatologia recomenda-lhes para aliviar os sintomas durante um período de vários meses. Por outro lado, eles não são adequados para tratar dores intensas.

Se você não conhece o Regenemax está na hora de conhecer

Alivie a dor nas articulações com soluções naturais

para tratar a dor nas articulações, é possível recorrer a soluções mais suaves. Alguns óleos essenciais , como o eucalipto-limão , conhecido por suas propriedades anti-inflamatórias, podem ser aplicados em massagens na área dolorida. Açafrão também é conhecido por ser um anti-inflamatório. Fácil de integrar na preparação das refeições, atua contra a rigidez e o desconforto funcional.

Um cataplasma de argila verde ou vermelha, graças às suas propriedades analgésicas e relaxantes, também pode ser eficaz. Para os seguidores da homeopatia, Arnica 5CH é uma solução interessante: anti-equimose, analgésico, anti-inflamatório, arnica é uma planta com muitas virtudes. Para saber mais, leia nosso artigo 10 soluções naturais para aliviar a dor nas articulações .

Remédios para emagrecer: eles são indicados para crianças?

Remédios para emagrecer: eles são indicados para crianças?

A obesidade é uma doença que atinge pessoas em todo o mundo e pode ocasionar problemas secundários, como doenças cardiovasculares, hipertensão, diabetes e distúrbios do sono. Uma das alternativas para combater esse mal é o tratamento à base de remédios para emagrecer.

Entre os adultos é comum ouvirmos falar sobre a ingestão dessas substâncias, porém, quando o assunto é o tratamento da obesidade infantil, ainda há dúvidas se também podem ser utilizados medicamentos.

Neste post vamos esclarecer esse assunto e explicar se o uso de remédios para emagrecer é ou não indicado na infância e adolescência. Também vamos apresentar medidas preventivas e formas mais saudáveis de combater esse mal na população mais jovem. Acompanhe.

A obesidade entre crianças e adolescentes
A alimentação do ser humano mudou muito ao longo dos anos. Hoje, opções mais rápidas e práticas, como fast food, comidas industrializadas e congeladas fazem parte do cardápio da maioria da população.

Embora saborosos, esses tipos de alimento não contêm os nutrientes que o organismo precisa e ainda trazem em sua composição substâncias que afetam negativamente a saúde, como gorduras saturadas, sódio, conservantes, açúcares, entre outros.

O consumo desses alimentos, aliado ainda a outros maus hábitos e ao sedentarismo, faz com que tanto adultos como crianças apresentem um aumento do peso corporal e tenham que lidar com as consequências do excesso de gordura.

O grande problema não é o comprometimento estético, mas a saúde dessas pessoas, já que a obesidade prejudica as funções orgânicas mais básicas e aumenta o risco de hipertensão, diabetes mellitus, artrose e até câncer.

Os dados sobre a obesidade infantil são preocupantes e mostram a importância de cuidar das crianças. Segundo o estudo do Imperial College de Londres e da OMS (Organização Mundial de Saúde), publicado na revista The Lancet, a obesidade infantil atinge hoje 10 vezes mais crianças do que na década de 1970.

A prevalência de obesidade na infância aumentou de 0,7% para 5,6% entre as meninas, e de 0,9% para 7,8% entre os meninos. Em ambos os casos houve um salto expressivo que exige atenção.

É possível tratar a criança obesa por meio da reeducação alimentar e da prática de atividades físicas. Porém, se há remédios para emagrecer, então por que não complementar esse tratamento e acelerar o processo de perda de peso?

Veja no próximo item se essa medida é recomendada por especialistas ou se pode comprometer a saúde da criança.

O uso de remédios para emagrecer em crianças
Toda criança que apresenta sobrepeso precisa se consultar com um especialista para avaliação e identificação das causas desse problema. Isso porque ele pode ter origens diversas (maus hábitos alimentares, sedentarismo ou doenças genéticas ou endócrinas) e em cada caso é necessário um tipo de abordagem específica para que a criança volte a ter um peso saudável.

Como a maioria das crianças obesas ganha peso devido a fatores puramente ambientais, como sedentarismo e consumo de alimentos hipercalóricos, o principal tratamento é a reversão desses hábitos e os medicamentos para emagrecer são utilizados como último recurso.

Assim, os medicamentos para emagrecer até podem ser uma alternativa, mas só devem ser usados em situações específicas, com muita cautela, sob acompanhamento médico e de preferência após o início da adolescência.

Alguns especialistas prescrevem a substância orlistat, que reduz a absorção de gordura pelo intestino, a partir dos 12 anos de idade e após os 14 anos, a sibutramina, que aumenta a sensação de saciedade e favorece a perda de peso. Mas esses medicamentos também podem provocar alguns efeitos colaterais como:

aumento da pressão arterial;
dor de cabeça;
boca seca (xerostomia);
insônia;
vertigem;
elevação da frequência cardíaca;
diarreia ou constipação intestinal;
cólicas abdominais;
flatulência;
hipoglicemia.
É importante ter em mente que o tratamento com remédios para emagrecer é diferente entre crianças, adolescentes e adultos e entre cada indivíduo. Apenas o médico é quem pode indicar o remédio ideal e sua dosagem segura para cada pessoa, levando em consideração contraindicações e interações medicamentosas.

Leia também: Kifina 

Tudo isso reforça ainda mais a necessidade de buscar alternativas para prevenir e tratar a obesidade.

Tratamentos saudáveis e seguros para a obesidade infantil
Como dito, antes de adotar o tratamento à base de remédios para emagrecer, são sugeridas medidas que auxiliem as crianças a perderem o peso corporal de uma forma mais saudável, de modo que elas consigam eliminar a gordura e exercitar o organismo ao mesmo tempo.

Esse tratamento não-medicamentoso tem como base uma alimentação saudável e equilibrada, a realização de brincadeiras ao ar livre e a prática de algum esporte – atividades que além de tratar a obesidade ajudam a preveni-la.

Veja a seguir algumas sugestões e os impactos positivos que elas oferecem para o organismo e a qualidade de vida das crianças:

Reeducação alimentar
É essencial mudar o cardápio da criança para que ela possa ingerir cada vez mais fibras, vitaminas, carboidratos integrais e gorduras saudáveis e cada vez menos carboidratos refinados e gorduras saturadas ou trans.

Porém, essa reeducação alimentar deve ser parte do dia a dia de toda a família, para que ela seja mais natural para criança e não seja percebida como algum tipo de punição.

Natação
Essa é uma atividade completa que trabalha todos os grupos musculares do corpo e ajuda na queima calórica. Além disso, estimula o sistema cardiovascular e favorece o desenvolvimento físico. Pode ser praticada desde os primeiros meses de vida do bebê.

Dança
As crianças podem se divertir e ao mesmo tempo exercitar-se ao praticar aulas de dança. Por ser uma atividade aeróbica, a dança provoca a queima de muitas calorias e trabalha a musculatura de todo o corpo. Há diversos estilos que podem ser praticados por meninos e meninas de todas as idades.

Tênis
Essa modalidade é muito ativa e exige rapidez, concentração e resistência física. Por isso, favorece o gasto calórico e ajuda a controlar o peso corporal. Pode ser praticada em escolas que oferecem esse esporte ou clubes.

Jogos coletivos
Os jogos coletivos beneficiam as crianças de várias maneiras, porque além de melhorarem a saúde e controlarem o ganho de peso, contribuem para a socialização, o respeito a regras e o desenvolvimento da inteligência emocional. Esses esporte incluem modalidades como futebol, vôlei, basquete e handebol.

Capoeira
Essa atividade é uma dança que simula movimentos de luta e faz parte da cultura brasileira. Exige equilíbrio, força, agilidade e flexibilidade e por isso é uma ótima alternativa para a criança se divertir e trabalhar o corpo de diversas maneiras, além de proporcionar o contato com elementos culturais do nosso país e socializar com outras pessoas.

Skate
A prática do skate é considerada um esporte radical, sendo recomendada a partir dos 7 anos, quando a criança já desenvolveu uma maior consciência corporal. Treina o equilíbrio e a coordenação motora.

Leia também: comprar Phytophen

Ciclismo
Essa atividade pode ser estimulada desde muito cedo, presenteando a criança com triciclos e bicicletas infantis e estimulando a prática do ciclismo de forma lúdica, no quintal de casa, em praças, parques, clubes e ciclovias. Andar de bicicleta é um exercício aeróbico que estimula o equilíbrio, queima calorias e tonifica a musculatura.

Escalada
Esse é mais um esporte radical que promove o fortalecimento muscular bem como o equilíbrio. É indicado para crianças a partir de 7 anos e deve ser realizado sempre com supervisão de um adulto e o uso de equipamentos de segurança.

Lutas
As lutas e artes marciais também ajudam a controlar o peso corporal e não estimulam a violência, pelo contrário. A prática desse tipo de esporte ensina o respeito, a disciplina, desenvolve a inteligência emocional, a empatia e a socialização.

Leia também: Kifina preço

Vale lembrar que todas essas atividades são mais prazerosas para a criança quando praticadas em companhia dos pais, dos irmãos, de outros membros da família ou de amigos. Assim a criança se diverte ao mesmo tempo que se exercita e mantém sua qualidade de vida e bem-estar.

A prevenção e o tratamento da obesidade infantil com atividades físicas e um melhor controle do cardápio são as melhores opções para a saúde das crianças. Os remédios para emagrecer devem ser usados apenas em casos de obesidade de difícil controle, sob prescrição e acompanhamento médico especializado.

A obesidade infantil tem crescido, e cabe aos adultos evitar que isso continue. Então, compartilhe essas informações em suas redes sociais e contribua com essa conscientização.

Disfunção erétil E impotência sexual

Disfunção erétil E impotência sexual

A disfunção eréctil ou “impotência sexual” corresponde à incapacidade constante ou recorrente de obter ou manter uma ereção que permita uma atividade sexual satisfatória durante pelo menos 3 meses.

Trata-se de um problema que pode atingir os homens de qualquer idade, embora seja mais comum em idades mais avançadas. De um modo geral, esta doença afeta 29% dos homens entre os 40-49 anos, 50% entre os 50-59 anos e 74% entre os 60-69 anos.

Apesar de ser uma doença benigna, tem um grande impacto na vida sexual do doente com repercussões psicológicas e familiares.

Dado o impacto da disfunção eréctil na auto-estima dos homens afetados, muitos preferem não procurar ajuda, o que tende a agravar o problema. A maioria dos casos, cerca de 90%, de disfunção eréctil é tratável.

Estima-se que, em Portugal, afete cerca de 13% (500.000) dos homens. Trata-se de um tema delicado que é abordado com muita dificuldade pelos homens afetados, quer em família, quer mesmo com o médico.

A disfunção eréctil associa-se com frequência às doenças cardiovasculares, podendo precedê-las e funcionando como um verdadeiro marcador de risco.

Como se manifesta a disfunção eréctil?
Uma incapacidade ocasional acontece à maioria dos homens e geralmente não é causa de maior preocupação. Os problemas recorrentes deverão ser avaliados.

A disfunção eréctil manifesta-se pela incapacidade constante ou recorrente de obter ou manter uma erecção permitindo a atividade sexual durante pelo menos 3 meses.

As características da disfunção eréctil, os momentos em que ocorre, a sua duração, são aspectos que ajudam a perceber se a causa é psicológica, física ou ambas.

Os sinais de alerta são a diminuição do desejo sexual, as alterações da qualidade da ereção e a consequente dificuldade na penetração, bem como alterações ejaculatórias.

Estes sinais podem manifestar-se de forma progressiva ou, por vezes, subitamente, sendo este
último caso, regra geral, consequência de doença prévia, de traumatismos ou de cirurgias.

Quais as causas da disfunção eréctil?
A ereção é um processo complexo que envolve o cérebro, diversas hormonas, os nervos pélvicos e os vasos sanguíneos que irrigam o pênis.

Embora esta doença fosse anteriormente considerada como uma doença com causas primariamente psicológicas, sabe-se que ela resulta quase sempre de uma causa física, como uma doença crônica, o é um efeito secundário de um tratamento em curso.

As causas mais comuns são a doença coronária, a aterosclerose, a diabetes, a obesidade e a hipertensão arterial. Nalguns casos, a disfunção eréctil pode representar o primeiro sinal dessas doenças.

Outros factores importantes são o tabagismo, o alcoolismo crônico, algumas medicações (tratamento do cancro da próstata, anti-hipertensores, antidepressivos), doenças neurológicas (doença de Parkinson, esclerose múltipla), distúrbios hormonais, a doença de Peyronie e os traumatismos pélvicos.

As causas psicológicas representam 10 a 20 % dos casos e incluem a depressão, ansiedade, stress, cansaço a existência de dificuldades de relacionamento conjugais.

A prática de ciclismo pode também causar disfunção eréctil, pela compressão prolongada dos nervos e vasos perineais.

Como se diagnostica a disfunção eréctil?
O diagnóstico da disfunção eréctil passa pela elaboração de uma história clínica e psico-sexual detalhada, acompanhada de um exame físico e um estudo laboratorial e hormonal.

Poderá ser útil a realização de um eco-doppler peniano, um estudo neurológico ou provas mais específicas que possam ajudar a detectar alguma anomalia nas estruturas penianas.

Uma avaliação psicológica poderá ser importante em alguns casos.

Como se trata a disfunção eréctil?
O tratamento adequado dependerá sempre da(s) causa(s) e da gravidade da disfunção eréctil.

Existem medicamentos orais que favorecem a irrigação peniana que podem ser úteis em alguns casos mas que, pelo seu modo de ação, estão contra-indicados em doentes com angina de peito, doença cardíaca grave, antecedentes de acidente vascular cerebral ou diabetes. Estes medicamentos podem interferir com outras medicações crônicas e, por tudo isto, a sua utilização depende sempre de uma avaliação e prescrição médicas.

Leia também: Big Size bula

Outras alternativas são tratamentos hormonais e, com muito menos frequência, o recurso a bombas de vácuo que favorecem a ereção, a implantação de próteses penianas ou a cirurgia vascular.

O aconselhamento psicológico e a terapia sexual são bons complementos de outras formas de tratamento da disfunção eréctil, sobretudo quando existe stress, ansiedade ou depressão associadas.

Como se previne a disfunção eréctil?
Essa prevenção passa pelo tratamento e controlo das doenças crônicas eventualmente presentes e pela eliminação dos factores de risco.

Adquirem especial relevância o controlo da diabetes e da doença coronária, a eliminação do tabagismo, a limitação de ingestão de álcool, a prática regular de exercício físico, um sono adequado e um bom controlo dos níveis de stress, o tratamento de estados de ansiedade e depressão e uma visita médica periódica.

A prevenção e tratamento da disfunção eréctil devem envolver não apenas o homem por ela afetado mas os dois elementos do casal. A disfunção eréctil tem repercussões na vida sexual do casal e, por isso, ambos devem estar envolvidos em todo o processo terapêutico. Quando surgem problemas sexuais, os casais sentem normalmente dificuldade em falar sobre eles. Quanto mais depressa assumirem a situação e decidirem procurar ajuda, mais fácil será a sua resolução.

COLÁGENO HIDROLISADO EM PÓ: EU TESTEI.

COLÁGENO HIDROLISADO EM PÓ: EU TESTEI.

Eu sempre fui chegada em creme. Conforme fui crescendo, fui descobrindo um mundo de possibilidades ao meu alcance e só precisava dividir em 3x no cartão! hahahaha Cremes bons nunca foram exatamente baratos por aqui e, por isso, voltei com malas inteiras deles todas as vezes em que fui viajar para o exterior.

Depois que a Catarina nasceu, diminuí MUITO meu relacionamento com os cremes. Por questões de tempo, de amamentação, de preguiça e de prioridades (=dormir, sempre). Às vezes me olhava no espelho e ficava chateada ao perceber que minha pele não era mais a mesma. Na verdade, a gente bate 30 e começa a descobrir que muitas coisas já não são mais as mesmas.

Nessa época, tive meu primeiro contato com um nutri cosmético. Meu cabelo começou a cair e a gineco me recomendou uma cápsula que não era remédio, mas resolveu meu problema em poucas semanas. Meu cabelo ficou MARAVILHOSO. Achei aquilo genial e fiquei de olho nesse tipo de produto.

Leia também: comprar Colágeno em pó

Na gravidez da Aurora, eu tinha tanta calor que só a ideia de passar o creme para estrias me deixava sem ar. Parei completamente de usar meus cremes ali e acabou que não voltei. Nem o creminho antes de dormir eu mantive. Eu morro de calor. Ela acorda para mamar de madrugada e eu quase sempre vou dormir na sala, com os janelões abertos e a cabeça quase na sacada.

Já desolada e enfiando a minha vaidade no saco, descobri os nutracêuticos.

Há uma semana estou usando o Colágeno Hidrolisado Type One da Equiliv e estou AMANDO. É muito prático, dissolvo um sachê no copo de água e pronto. Não tem gosto. Pode diluir em bebidas geladas ou quentes, mas eu coloco na minha cota de água do dia mesmo. Se não for muito fácil, não funciona para mim. São duas crianças o dia inteiro só comigo, lembram?

A sensação que eu tenho é que fiz uma baita limpeza de pele. Minha pele LIMPOU. Por cima, está macia e aveludada. Quando faz uma make, fica perfeita.

Fotos de cara limpíssima e sem edição (com direito a olheiras e tudo!) para mostrar os resultados:

Leia também: comprar Colágeno em pó

O fabricante diz que é possível ver resultados após 4 semanas de uso. Eu já percebi muita diferença em uma semana, então estou animadíssima! Pena que eu não tirei foto do antes…

No sachê de 4g tem 2,5g de colágeno e o restante de mineiras quelatos, biotina e ácido pantotênico. É por isso que além de melhorar e prevenir rugas, fortalece unhas, cabelos e hidrata e aumenta a densidade da pele. A combinação de peptídeos de colágeno agem de dentro para fora, na derme. O envelhecimento da pele é causado pela diminuição de colágeno em uma região mais profunda da pele onde a maioria dos cosméticos tópicos não alcança. Muito dinheiro para pouco alcance!

Leia também: Skin renov Anvisa

E para quem está falando que estou muito nova para me preocupar com isso, fique sabendo que a redução da produção de colágeno começa por volta dos 25 anos. hahahaha Ou seja: estou atrasada em uma década! =P

Importantíssimo: Equaliv Colágeno Hidrolisado Type One também é produzido dentro do conceito clean label, livre de aditivos artificiais, corantes;,açúcares e edulcorantes, gorduras, carboidratos, colesterol e sem glúten. É um produto com baixo potencial alergênico, sem contraindicações e sem sabor.

Andei pesquisando por aí e o mês de colágeno custa 89 reais, em média. Achei bem razoável, considerando o preço dos bons cremes faciais. Pretendo adotar para a vida. SELO MAMAHOLIC de aprovação nele!

Colágeno

Colágeno

Colágeno é o nome dado à uma família de proteínas estruturais encontradas em diversas partes do organismo como na pele, osso, cartilagem, músculo liso e na lâmina basal.

O colágeno é sintetizado intracelularmente em pequenas porções por diferentes tipos celulares, principalmente por fibroblastos, condroblastos e osteoblastos, e exportado para fora da célula, onde através de enzimas polimerizantes adquire sua estrutura em tripla hélice. Cada molécula de colágeno é predominantemente formada pela a glicina, prolina, hidroxiprolina e hidroxilisina. A hidroxiprolina e a hidroxilisina são aminoácidos originados respectivamente da prolina e da lisina através de processos enzimáticos dependentes da vitamina C. Por esse motivo, a deficiência dessa vitamina leva ao escorbuto, uma doença relacionada a problemas na síntese do colágeno, causando hemorragia (vasos sanguíneos e pele possuem colágeno na sua constituição).

O colágeno é a proteína mais abundante do organismo representando 30% do seu peso seco e é produzido por diferentes tipos celulares. Dependendo das necessidades funcionais do organismo, esta proteína apresenta diferentes graus de rigidez, elasticidade e força de tensão, sendo classificados nos seguintes grupos:

Leia também: comprar Colágeno tipo 3 e 1

colágenos que formam fibrilas longas: Este tipo é formado por moléculas de colágeno do tipo I, II, III, V ou XI que se agregam para formar longas fibrilas de colágeno facilmente visíveis ao microscópio eletrônico. Neste tipo de colágeno encontra-se com maior facilidade o tipo I e está distribuído de maneira ampla pelo organismo formando o que comumente chamamos de fibrilas de colágeno e são encontrado em ossos, dentina, tendões, capsulas de órgãos e na derme.

Leia também: Skin renov Anvisa
colágeno associado a fibrilas: é formado por colágenos do tipo IX, XII e XIV, eles formam estruturas curtas que ligam as fibrilas de colágeno umas as outras e a outros componentes da matriz extracelular.
colágeno que forma redes: é formado por colágeno do tipo IV que se associa formando redes, é um dos principais componentes das lâminas basais e possui função de aderência e filtração.
colágeno de ancoragem: é formado por colágeno do tipo VII e é encontrado nas fibrilas que ancoram as fibras de colágeno tipo I à lamina basal.
A falta de colágeno no organismo é chamada de colagenose e acarreta problemas como má formação óssea, rigidez muscular, inflamação das juntas musculares, doenças cutâneas e problemas com o crescimento.

O colágeno amplamente utilizado na indústria de alimentos na produção de embutidos como salsicha, rosbife, sobremesas como gelatinas e pudins e na indústria de cosméticos e farmácia são obtidos industrialmente principalmente através dos bovinos.

Lista de Remédios para Impotência Sexual Masculina e Disfunção

Lista de Remédios para Impotência Sexual Masculina e Disfunção

Remédio para Impotência: Especialistas revelam o que há de mais novo e eficaz para acabar definitivamente com problemas de ereção, confira o artigo!

A impotência masculina é considerada a incapacidade que o homem apresenta de iniciar e/ou manter a ereção do pênis por tempo suficiente para que aconteça as relações sexuais. De uma forma geral a impotência sexual é conhecida como disfunção erétil, uma vez que diferentes motivos podem causar problemas de ereção.

Dessa forma a disfunção erétil pode ser relacionada com a ejaculação precoce, a falta de libido, problemas de ereção e dificuldades para ejacular.

Ao longo dos últimos 20 anos surgiu uma vasta lista de remédios para impotência masculina, porém muitos desses medicamentos têm efeitos colaterais graves e muitas contraindicações. Além disso, o uso desses produtos pode ser fatal em certos casos. Remédio Para Impotência

Entretanto, recentemente com a chegada de novas terapias alternativas como o uso de remédios naturais para tratar a impotência sexual masculina, uma solução natural, saudável e eficaz chega ao Brasil.

Remédio Natural para Impotência Masculina
Remédio Natural para Impotência bate recorde de vendas nos EUA e agora chega no Brasil com Fórmula Inovadora capaz de proporcionar Ereções Diárias!

Problemas de Ereção
Nos dias de hoje à procura por remédio para impotência masculina é grande. Isso porque, é fácil correlacionar saúde sexual com a qualidade de vida. Dessa forma a disfunção erétil, mesmo que não cause riscos de morte às pessoas, traz muitos problemas não desejados, causando problemas no relacionamento e a autoestima.

Se esse problema persistir a pessoa que apresenta impotência pode desenvolver depressão. O ideal é que indivíduo com problemas de ereção procure um médico especialista, que irá indicar o melhor remédio para impotência masculina em cada caso específico.

É importante mencionar que a maioria dos remédios para impotência vendidos na farmácia não tratam as causas da disfunção erétil, passado o efeito do medicamento no organismo a dificuldade de ereção permanece.

Cabe destacar que nem toda dificuldade relacionada a ereção é considerada impotência, só poderá ser considerada disfunção erétil se o homem for incapaz de manter ou ter ereções em 75% de suas tentativas. Casos esporádicos de ereção fraca é completamente normal, acometendo todos os homens nas mais variadas idades.

Outra questão que precisa ser levantada na hora de escolher o melhor remédio para impotência sexual masculina é diferenciar falta de libido de disfunção erétil. Na falta de libido a ereção não chega a ocorrer, devido a uma falta de interesse sexual. Já quando falamos de disfunção erétil o homem sente tesão/desejo sexual, entretanto não consegue iniciar ou manter a ereção.

A dificuldade de ereção é mais frequente conforme a faixa etária dos homens vai aumentando e também está relacionada a presença de outras doenças (como diabetes, doenças cardíacas, hipertensão, obesidade e outras). Uma estimativa sobre o uso de remédios para impotência masculina mostra que aproximadamente 40% dos homens com idade superior a 40 anos apresenta disfunção erétil em algum nível.

Causas da Disfunção Erétil
A disfunção erétil pode ocorrer por várias causas, portanto, as opções de tratamento e a lista de remédios para impotência masculina são igualmente variáveis.

A idade é considerada a maior responsável para o surgimento da disfunção erétil e o uso de remédios para impotência masculina, porém é importante mencionar que o envelhecimento não é o grande culpado, mas sim as doenças associadas ao envelhecimento.

Já foi provado que uma pessoa idosa e saudável é plenamente capaz de manter uma ereção satisfatória, sem o uso de qualquer tipo de remédio para impotência. De fato, um homem de 65 anos e saudável pode apresentar uma ereção muito mais prolongada e potente do que um homem mais novo que tenha diabetes ou problema cardiovasculares.

Assim, as doenças que podem ser associadas à impotência sexual masculina são:

diabetes;
hipertensão;
obesidade;
problemas cardíacos;
problemas relacionados ao colesterol alto;
tabagismo;
alcoolismo;
AVC;
insuficiência renal;
doenças da tireoide.
O problema pode estar relacionado aos medicamentos que são utilizados para tratar essas doenças, frequentemente esses remédios apresentam substancias que colaboram para a disfunção erétil. Por exemplo, alguns remédios para hipertensão causam problemas de ereção.

Outro fator não correlacionado a problemas físicos, mas sim psicológicos podem gerar o quadro de disfunção erétil. Estresse é um dos fatores que mais contribuem para a dificuldade de ereção, nestes casos o médico saberá indicar o melhor remédio para reverter o problema.

Além do estresse, uma sociedade extremamente sexualizada causa o sentimento de ansiedade correlacionado ao ato sexual e, assim, a obrigação em fazer o sexo, estar sempre pronto para o ato sexual também se torna um caso comum de disfunção erétil.

Todo homem já ouviu alguma piada sobre o ato de falhar na hora do sexo “broxar”, tornando a disfunção erétil algo humilhante, muito vergonhoso e desencadeando uma pressão não necessária sobre os homens.

Outro fator psicológico muito comum que leva a disfunção erétil é a depressão. Para piorar a depressão pode ser um ciclo vicioso, uma vez que ao falhar o homem fica mais depressivo e quanto mais depressivo, maiores são as chances de falhar.

Lista de Remédios para Impotência Sexual Masculina
Hoje em dia existe uma enorme lista de remédios para impotência sexual masculina, dentre eles podemos mencionar alguns que ficaram bastante conhecidos como, por exemplo: o Viagra, Levitra e o Cialis. Entretanto, atualmente muitos tornaram-se obsoletos e estão longe de ser a melhor alternativa de remédio para disfunção erétil.

O motivo é simples, os principais remédios dessa lista de medicamentos para disfunção erétil apresentam uma grande quantidade de reações adversas e contraindicações. Homens que apresentem hipertensão ou qualquer outro problema no coração não podem utilizar esses remédios, uma vez que devido a substâncias vasodilatadoras, o medicamento irá sobrecarregar ainda mais o coração desses homens.

Dessa forma a maioria das opções dessa lista de remédios para impotência masculina apresentam muitos efeitos colaterais, tais como:

risco de derrame;
desenvolvimento de problemas cardíacos;
tontura;
dor de cabeça;
problemas de digestão;
sensibilidade à luz podendo apresentar visão embasada;
diarreia;
rubor facial.
Por causa desses efeitos colaterais é preciso tomar cuidado com essa lista de medicamentos, como já mostrado o risco é muito grande. Nesses casos, de acordo com os médicos especialistas a melhor alternativa, e primeira opção de tratamento é o uso de plantas e ervas medicinais, com vitaminas e estimulantes naturais.

Remédio Natural
Recentemente, pesquisadores descobriram novos remédios para impotência que são alternativas muito melhores do que esses medicamentos ultrapassados, uma vez que são feitos com compostos naturais e são um excelente estimulante sexual.

Dessa forma, podemos citar o Xtrasize (Viagra Natural), esse remédio 100% natural auxilia com a saúde dos corpos cavernosos, deixando-os mais elásticos e aumentando o recebimento de sangue na região peniana. Graças a isso, as ereções se tornam mais potentes, mais duradouras e com orgasmos muito mais intensos, aumentando a sensação de prazer durante a ejaculação.

Xtrasize Original é um remédio natural para impotência masculina feito à base de plantas e ervas medicinais, livre de efeitos colaterais e reações adversas. Se você sofre com problemas de ereção, experimente este potente estimulante capaz de turbinar sua vida sexual, com ereções diárias naturalmente.